Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lóbi do Chá

Lóbi do Chá

Bréquin nius

por Zé Pedro Silva, em 31.07.09

Estatuto dos Açores: Tribunal Constitucional dá razão a Cavaco Silva. A Primeira Dama perdeu a aposta e terá de lavar a loiça.


O Imprensa Falsa recomeçou no Twitter, em http://twitter.com/imprensafalsa.

Presidente ambulante

por Zé Pedro Silva, em 31.07.09
[caption id="attachment_1307" align="aligncenter" width="450" caption="Será que Obama consegue estar mais de 20 minutos seguidos na Casa Branca?"][/caption]
[Fotografia: Reuters/Larry Downing]

Nota espacial

por Zé Pedro Silva, em 30.07.09
[caption id="attachment_1302" align="aligncenter" width="425" caption="Astronauta Dave Wolf durante uma checklist"][/caption]

A tripulação da Endeavour já fez as últimas verificações antes do regresso à terra, que está previsto para as 10:48 a.m. EDT desta sexta-feira (15:48 em Portugal continental, salvo erro).


O comandante da missão STS-127, Mark Polansky, tem actualizado a viagem no seu twitter Astro_127.  Há pouco mais de uma hora dizia «From orbit: About 10 minutes to a burn that will lower our orbit by 6 miles. Then, ~ 1 ½ hrs ‘til bed.»



[Fotografia: Nasa]

No reino da bola

por Zé Pedro Silva, em 30.07.09

A absolvição de Fátima Felgueiras do processo do futebol não é um escândalo. A acusação dizia que a autarca tinha mandado dinheiro da câmara para o clube da cidade. Não necessariamente para o clube, sobretudo para a equipa profissional – era aqui que o Ministério Público vislumbrava um terrível crime.


Mas eu não sei, muito sinceramente, que crime pode ser. Num país que vive para o futebol, uma autarquia procurar ter uma equipa forte não pode ser crime. E assim, encarcerar Fátima - diligência que não é fácil - por ter subsidiado a equipa de futebol da sua cidade teria sido anedótico.


Mas é claro que o país não quer encarcerar Fátima por causa do futebol ou das transferências de dinheiro. Ninguém quer saber dos factos. O país quer encarcerar Fátima porque há muito decidiu que queria encarcerar Fátima. Mas não valerá tudo, pelo menos para aquele Tribunal.

Política fiscal da emboscada

por Zé Pedro Silva, em 30.07.09

"Um iate se calhar devia ser altamente tributado. Agora, deixe lá o rico ir comprar o iate, não lhe tire o dinheiro antes de ele ir ao iate, porque aí tira postos de trabalho àqueles que construíram o iate." – Ferreira Leite, citada no Correio da Manhã.


“Deixe lá o rico ir comprar o iate, não lhe tire o dinheiro antes de ele ir ao iate” é uma coisa do além, que mais parece saída de um filme do Tarantino. (Estou a imaginar a cilada. Ferreira Leite está numa carrinha à distância. O vendedor de iates encontra-se com o rico debaixo do viaduto. Assim que transaccionam o barco, Ferreira Leite aparece: Mãos no ar. Tu, rico, passa para cá os impostos. Tu, vendedor, vai à procura de outro, enquanto eu tenho uma conversinha aqui com este ricalhaço – dá-lhe uma coronhada na nuca – com que então a comprar barquinhos – mais uma coronhada – pensavas mesmo que o Estado não te ia ficar com o dinheiro – pontapé nas partes – se não te importas eu vou ficar com o barquinho e com o dinheiro.)


Enfim, a líder do PSD devia saber que os iates à séria são comprados por paraísos fiscais e que se ela tributar alguém, só tolos com aquelas embarcações pneumáticas que nem dobram o Espichel.


Devia saber, também, que quando esteve no Governo e tentou fazer estas emboscadas, os barquinhos dos portugueses, embora comprados por paraísos fiscais, nem sequer passavam por Portugal. Ficavam nas costas francesa e espanhola, onde não há ferreiras leites, nem na época baixa.


Quanto aos postos de trabalho que se garantem com estes esquemas – se é que se garantem muitos neste jogo do gato e do rato – folgo em saber que Ferreira Leite está preocupada com o desemprego em Itália, Espanha e Estados Unidos. Ou será que a líder do PSD acha que os iates são construídos em Portugal? A apanhar do ar como anda, talvez ache.

Dois depois das refeições. Se as nossas acções subirem, basta um

por Zé Pedro Silva, em 29.07.09

Já conhecemos o poder da indústria farmacêutica. Qualquer chafarica, por mais insignificante que seja, vai fazer triliões de euros até este post estar concluído.


Não custa assim tanto imaginar, portanto, que as lutas dentro da indústria, sobretudo em períodos de crise, podem resultar em gripes e sabotagens. É levemente conspirativo, bem sei, mas o negócio da droga não é para brincadeiras. E a gente não acredita em bruxas, mas…


Sei hoje por que motivo o mercado dos remédios esteve sempre também entre os que inviabilizaram a minha admiração pelo liberalismo. Há, com efeito, coisas que não podem ser exploradas nem ficar à mercê dos interesses das companhias. E os liberais até podem dizer que se não fosse assim não havia tanta investigação. Estão sempre a dizer disparates, não é agora que nos vamos chatear com eles.

Os loucos de Lisboa

por Zé Pedro Silva, em 29.07.09

Ninguém tem paciência para aprofundar ideias, mas depois dos debates políticos há sempre quem se queixe da falta delas. São os fogachos de intelectualidade que assomam aquelas almas que nem sequer imaginam o horror que é ouvir uma discussão aprofundada sobre uma proposta concreta. Imaginem-se, por exemplo, a discutir o não-sei-o-quê-cromático de alguns bairros de Lisboa que Santana ontem alardeou.



Em qualquer caso, para Lisboa, ontem, no debate entre Costa e Santana, era mais importante discutir os candidatos que as ideias para a cidade. Ideias já sabemos que todos têm e quando não têm contratam umas agências para pensar em coisa formidáveis.


Mas, por estes dias, não é de ideias que a Câmara de Lisboa precisa. Não precisa de soluções para o caneiro de Alcântara nem de elevadores para os turistas. Precisa, isso sim, de um executivo que ponha termo à ribaldaria que para ali vai. Era agora preciso um general, mais que um idiota.


Ora, justamente sobre os problemas estruturais da Câmara de Lisboa, que passam pela desorganização administrativa, pela desorientação política e pelo abuso inqualificável de poderes que se quedam eternamente nas mãos de pequenas corjas – fica para a história um responsável pelas finanças da autarquia que atravessou vários executivos e que durante mais de uma década pôs e dispôs das contas da Câmara – sobre estes problemas, dizia eu, nem uma palavra. E é por isso que o debate foi uma poia, para não dizer outra coisa.

Chega para lá

por Zé Pedro Silva, em 28.07.09

Nunca Portugal tinha discutido tanto as listas para o parlamento. É bom sinal. É sinal de que a política está mais próxima das pessoas e as pessoas mais próximas dos seus representantes.


Lamentavelmente, e talvez por causa de alguma renovação que vai acontecendo, a discussão é também sinal de que há alguma inveja no ar e porventura ressentimento nos partidos. As renovações são sempre difíceis, sejam elas no parlamento, numa empresa ou no rancho folclórico.


Mas é fundamental refrescar as instituições com novas caras, novas ideias; e porque não? com caras e ideias que estavam no banco. Sobretudo, no parlamento português, é preciso empurrar aqueles pachorrentos das últimas filas para trás e os instalados das primeiras para os lados.

Sócrates e a blogosfeira

por Zé Pedro Silva, em 28.07.09

Antes de entrar para uma conferência com bloggers – que saiu furada do ponto de vista da transmissão em directo – José Sócrates disse que lhe dizem que os blogues dizem mal dele. Imagino que os leitores não apreciem esta minha repetição do verbo dizer, mas relendo constatam que há qualquer coisa de canção popular na frase anterior. Não? Então acrescentem o refrão: ai ele disse que lhe dizem que os blogues dizem mal dele, ora chupa, chupa, chupa no dedo.


Enfim, não era sobre música ligeira que vos queria falar, era justamente sobre o comentário do primeiro-ministro que assim subliminarmente procura mostrar que não lê blogues. Reparem que alguém lhe diz que os blogues dizem mal dele, mas não é ele que os lê – o que configura um pormenor desagradável quando se está à beira de entrar para uma conferência com blogues. É a mesma coisa que abrir uma conferência com pescadores com um então disseram-me que os senhores capturam peixe, não é assim?.


Seja como for, não acredito que Sócrates não leia blogues. Talvez a dra. Ferreira Leite não leia – a líder do PSD é mais de ter uma assinatura do jornal da sua comarca, que recebe trimestralmente em Lisboa – mas Sócrates tem feito os upgrades.

Não andam a brincar aos blogues

por Zé Pedro Silva, em 27.07.09

Dá-se à estampa, depois do Simplex e do Jamais, o Rua Direita, um blogue constituído por apoiantes do Centro Democrático e Social (barra) Partido Popular.


O líder do CDS prometeu uma campanha low cost, pelo que se espera que este blogue gratuito no Sapo seja a maior extravagância.


Bem constituído de autores, oxalá esta Rua Direita não se fique pela vanglória do grupo parlamentar, até porque o país já sabe que o CDS tem sempre razão.

Pág. 1/6

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D