Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lóbi do Chá

Lóbi do Chá

Será só Gaspar?

por Zé Pedro Silva, em 28.02.13

Mais uma vez, Grândola vila morena e insultos contra o primeiro-ministro. Onde? À saída de uma conferência. Eu não sei se repararam mas Passos Coelho está todos os dias em conferências, de manhã e à tarde. Recupero por isso este post, bem recente.

 

E pergunto: Quem é que está a governar este país? Será só Vítor Gaspar?

Vamos Angola

por Zé Pedro Silva, em 27.02.13

Bem o editorial do Jornal de Angola, que diz aos empresários angolanos para não investirem em Portugal. A perseguição que por cá se faz aos investimentos de Angola é uma ofensa.

 

Um certo Portugal gosta de se fazer de pai de Angola, que vai endireitar a filha. Um certo Portugal gosta de ser o Tribunal que julga Angola. Um certo Portugal pensa que tem superioridade moral sobre Angola e sobre os angolanos.

 

Portugal faz e fez negócios com muitos países. Estados Unidos, Canadá, China, Japão, Síria, Líbia, Venezuela, Iraque, França, Alemanha, Argélia, Marrocos, eu sei lá. Mas quando se trata de Angola, um certo Portugal pensa "Hum! Isto cheira-me a esturro! Ai que eles não são uma democracia. Ai que eles têm muita corrupção. Ai que eles isto. Ai que eles aquilo."

 

Saibam os angolanos que a perseguição que alguns comentadores fazem a Angola, só para explorar um certo patriotismo bacoco, não é representativa da sociedade portuguesa, sempre aberta e historicamente disponível para negociar com o mundo inteiro, mas sobretudo com os países com quem tem ligações mais profundas, de língua e de cultura.

 

Angola é um país irmão. O investimento de Angola é bem-vindo. Os comentadores? É deixá-los continuar a falar para as paredes.

Cavaco e o mérito

por Zé Pedro Silva, em 26.02.13

Ouvir o professor Cavaco Silva a falar em premiar o mérito é uma coisa que primeiro estranha-se, depois continua a estranhar-se e nunca se entranha.

 

Mérito? Ele chegou à liderança do PSD porque foi fazer a rodagem a um Citröen. Governou o país quando choviam fundos comunitários. Até as acções que comprava já estavam vendidas pelo dobro do preço.

 

Não me lixem. E isso de ser um cromo do caneco em finanças públicas com doutoramento na Universidade de York? Ele furtou mas é o canudo a um bife que passou férias em Boliqueime e isso é lamentável porque o bife nunca mais se endireitou, ainda tentou trabalhar no metro, mas dois anos depois jogou-se ao Tamisa.

Quando o Bush me enviou um e-mail

por Zé Pedro Silva, em 26.02.13

É num clima de excitação que António José Seguro anuncia que a senhora Lagarde respondeu à sua carta. O que disse a senhora Lagarde? António José Seguro não revela. Mas o importante é que ela respondeu! Até pode ter dito "muito obrigada pela sua carta, iremos analisar o seu pedido". Mas não interessa, respondeu.

 

Gostaria também aqui de anunciar que o presidente Bush respondeu-me uma vez a um e-mail. Em tempos escrevi para a Casa Branca e recebi poucos minutos depois um e-mail de agradecimento pelo meu contacto. Agora... se a minha conversa com o presidente pode ter eventualmente mudado a história dos Estados Unidos? Isso eu não vos posso dizer, desculpem-me, mas é entre mim e o Bush.

A coragem física do Álvaro

por Zé Pedro Silva, em 26.02.13

 

Quando começam a ouvir Grândola vila morena, os governantes ora saem pela porta da cozinha, pela garagem, pela janela e até pela chaminé. Palmas por isso ao Álvaro, que, em Londres, enfrentou dois manifestantes. Eram só dois, é verdade - e um deles estava manietado pelo cartaz que segurava - mas o ministro foi lá e isso já é notável.

 

A coragem de Álvaro já é conhecida. Ainda tinha poucos dias de Governo - talvez por isso - quando, num célebre fim-de-semana, levou as suas crianças a ver uma manifestação contra ele próprio, junto ao ministério da Economia. A conversa da família deve ter sido linda.


- Papá, aqueles senhores estão a chamar-te ladrão, gatuno e fascista? Porquê?

- Oh! É com certeza a brincar, meus queridos alvarinhos.

Quem quer ser o motor de Cavaco? Um de cada vez, por favor...

por Zé Pedro Silva, em 25.02.13

Cavaco Silva disse que os jovens empresários podem ser o motor da mudança. É caso para dizer "vai tu". Ou "vá o senhor presidente", que é para mantermos o debate com um certo nível.

 

Esta história dos jovens empresários e do empreendedorismo e da criatividade e do futuro e o caneco, é uma grande treta. O que os jovens querem, se forem espertos, é uma reforma do Banco de Portugal e amigos como o Oliveira e Costa, antes de ser preso, naturalmente, porque ele agora nem para jogar às cartas é divertido.

 

Fazer uma empresa? Neste país? Para quê? Para andar a pagar impostos sobre impostos? E luvas aos políticos? E vende-se o quê a quem, neste conglomerado de gente empobrecida pelos bancos e pelo Estado? Por aqui só pegam lojas de chineses e mesmo assim o chinês tem de estar na loja. Se contratar alguém ou se puser lâmpadas decentes no tecto, vai-se a margem num ápice. 

 

A verdade é que dá tanta vontade de montar um negócio neste país como de fazer um piercing no prepúcio. Estou a ser injusto. Dá muito mais vontade de fazer um piercing no prepúcio.

 

O motor da mudança... Os jovens até teriam achado graça à ideia, mas este motor gasta muito, porque não leva só o país. Leva à pendura toda a tralha da política, que faz muito peso. O país ainda se leva bem, porque o motor até tem força, o pior é este Estado, tão injusto quanto falido, cuja riqueza foi absorvida pela corrupção e pela incompetência.

 

Quem se podia lançar num negócio, trabalhar, ser criativo, empreendedor e o motor na mudança, era o Cavaco, o Gaspar, o Passos e o Relvas (mas sem tecnoformas esquisitas), o Sócrates, o Portas, a Ferreira Leite, o Durão Barroso e o António Guterres, entre outros. Eles é que deviam investir na borrada que fizeram, para verem o que é bom. 

 

Mas está quieto. Excluindo Cavaco, que ainda conseguiu arranjar um tacho perto da Maria, o Guterres pirou-se para os refugiados. Refugiados por refugiados, preferiu os que ainda não o conheciam. Durão Barroso também estava a adorar, mas abriu uma vaga como mordomo da Alemanha e ele sempre quis trabalhar nessa área. José Sócrates, a maior força viva da natureza, uma autêntica máquina do empreendedorismo e do optimismo económico, preferiu um confortável tacho como comercial de luxo de uma farmacêutica suíça que quer aldrabar os sul-americanos, o que, diga-se em abono da verdade, faz sentido. Sócrates é de facto bom a aldrabar, nomeadamente sul-americanos.

 

E pronto. Rebentaram com a pátria, fizeram as suas vidinhas, e agora querem que os jovens sejam o motor da mudança. E os jovens, se forem espertos, vão mesmo ser o motor da mudança, mas antes têm de retirar estes calhaus da engrenagem. Porque até lá isto não anda. 

Protestos cada vez mais duros

por Zé Pedro Silva, em 24.02.13

 

Mas se achamos que o nosso país é brando nos protestos, com o povo a cantar e a pedir facturas em nome dos governantes, o que dizer da ira italiana, representada este domingo, dia de eleições, pela abordagem que três raparigas em tronco nu fizeram a Sílvio Berlusconi? Aquilo a que estas jovens chamam protesto, Berlusconi chama festa.

 

No corpo tinham escrito "basta Berlusconi". Essa era a mensagem que queriam levar. Porém, se querem mesmo uma mudança, talvez pudessem ter aparecido com roupa até às orelhas, pois sabemos que está tudo na mesma quando metade das mulheres à volta de Berlusconi está com metade da roupa. 

 

Doidos, entretanto, devem estar os gregos, ao assistir a isto tudo. Eles por lá com tudo a arder, montras partidas e balas de borracha pelo ar, enquanto os portugueses cantam e os italianos despem-se. Resta-lhes pois a solidariedade dos espanhóis, que também são mais adeptos do estalo.

 

Dos irlandeses nem se fala. São a civilidade em povo. Parece que estou a ver as autoridades a abordarem um cidadão irlandês para lhe dizer que vai ficar sem metade dos rendimentos anuais por causa dos banqueiros, e ele - "Ohhh! Conas dare?" -, pardon my irish.

 

[Imagem: AGI.it]

Diz o PS roto ao Gaspar nu

por Zé Pedro Silva, em 24.02.13

Como se diria em Ilhéus, é evidente por demais que os governantes têm a obrigação de fazer previsões mais certeiras dos números do défice, do PIB, do desemprego, etc. e tal. É também evidente por demais que Gaspar falhou e deve ser criticado por isso. Menos pelo PS, porque o PS, nesta medida, devia estar calado.

 

Sócrates previa no orçamento de 2009, por exemplo, um crescimento de 0,6%. Em Janeiro, em entrevista, já admitia o cenário de recessão, que naturalmente se verificou. Até o governador do Banco de Portugal, saudoso - para quem tem saudades - Vítor Constâncio, afirmava em 2008: "Estamos numa posição de seguir mais ou menos o crescimento médio da área do euro, nomeadamente em 2009."

 

Seguimos, nomeadamente em 2009, mais ou menos o crescimento médio mas foi da Serra Leoa.

 

E a pirueta que o PS aponta agora a Vítor Gaspar é uma pequenina cambalhota quando comparada com os arriscadíssimos mortais que o PS fez naquele tempo do PEC para trás PEC para a frente.

Protestos inteligentes como a merda

por Zé Pedro Silva, em 24.02.13

Este protesto das facturas em nome de Passos Coelho é, no mínimo, estúpido. Eu, pelo menos, não percebo o significado. Nem o objectivo. Há quem fale numa investigação ao IRS do primeiro-ministro por causa do volume de despesas declarado. Isto é estúpido daqui à lua e voltar.

 

Depois disto, se há investigação ao IRS que não se vai fazer é ao do primeiro-ministro, pois, como se sabe, foi adulterado pelo povo. Se Passos Coelho comprar amanhã um relógio de 100 mil euros, ninguém vai saber se foi mesmo ele. Se rebentar este domingo 1500 euros em champanhe, também ninguém vai saber se foi ele. Se dormir com duas putas no Ritz, também podem ter sido dez milhões de portugueses.

 

E quem fala do IRS de Passos Coelho, fala do de Relvas e restante membros do Governo, cujos números de identificação fiscal correm pela net. É, de facto, uma forma de protesto inteligente como a merda. Parabéns aos seus mentores e aos followers.

 

Pequena nota gourmet

por Zé Pedro Silva, em 22.02.13

As notícias sobre o que se pode encontrar na carne picada industrialmente consistem numa grande surpresa para mim. Pensava que tinham muito mais merda, embora tenha ficado surpreendido com o químico que lhe metem para manter a cor de carne. Isso é de mestre.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D