Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lóbi do Chá

Lóbi do Chá

Ganhar ao murro e ao pontapé

por Zé Pedro Silva, em 26.11.13

Há uma clara, evidente e óbvia incitação à violência por parte de alguns responsáveis políticos. Essa incitação - vou repetir - é evidente, clara e óbvia. É manifesta. É factual. Claro que ninguém ainda disse "rachem-lhes a pinha", mas não param de falar no assunto, o que é, naturalmente, uma incitação à violência. 

 

Se um amigo nos ligar a dizer que o vizinho está há horas a ensaiar ópera, nós podemos dizer para ele se aguentar, para eventualmente chamar a polícia ou para ir diplomaticamente convidar o artista a continuar amanhã entre as nove e as oito. Mas também podemos dizer "pois, imagino, deves estar muito irritado, porventura até já te ocorreu ir lá matá-lo, e estás no teu direito, porque de facto isso leva uma pessoa à loucura, portanto era legítimo, estou mesmo a ver, daqui a um bocado passas-te e vais lá dar cabo dele, eu já te conheço, sei que tu és assim, estou mesmo a ver o filme, olha até vou apostar".

 

Claro que a incitação à violência tem muitas formas. Os comentários de alguns responsáveis políticos, nos últimos tempos, são uma das muitas formas de incitar à violência. E nessa medida são lamentáveis e cobardes.

 

Os portugueses não têm optado pela violência nestes tempos difíceis de resgate financeiro, após uma situação de falência. Os portugueses não parecem querer resolver as coisas ao murro. Até a revolução que pôs termo a uma ditadura foi das coisas mais pacíficas a que a humanidade já assistiu. 

 

Enquanto escrevo, pode estar a ser planeado um golpe de Estado. Uma próxima manifestação pode descambar. Tudo é possível, mas a verdade é que os portugueses, perante as dificuldades, têm sido muito inteligentes, porque o uso da força só se admite, pelo menos, quando há um objectivo que o justifica.

 

Ora, não querem com certeza que eu vá para a rua incendiar caixotes de lixo para levar o dr. Mário Soares até Belém, pois não? Não querem que eu vá partir a drogaria dos Rodrigues para o engenheiro Sócrates voltar em ombros? Não querem que eu bata na polícia para o dr. Seguro se instalar em São Bento, ou querem? Será o novo partido do outro "ex" do Bloco? É isso! Querem que eu vá mandar garrafas ao Parlamento pelo Livre do Rui Tavares. Ou será pelo próprio Bloco de Esquerda ou pelo que resta dele? Ou será que me pedem para partir isto tudo para se instalar uma ditadura comunista?

 

Confesso que ainda não percebi. Querem porrada, porquê? Para terem o poder numa bandeja, não é? Só querem violência nas ruas para regressarem ao poder sem precisarem de apresentar uma proposta séria, uma alternativa concreta. Depois dizem que os portugueses são tansos e moles. O que os portugueses não são é estúpidos. E se não tivessem uma classe política miserável, eram até um povo muito feliz.

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D